Senacem
A Escola que Persiste:
Desafios Pela Inclusão, Diversidade e Qualidade do Ensino na Escola Pública em Tempo de Crise

Apresentação

V SENACEM: Seminário Nacional do Ensino Médio
II ENACEI: Encontro Nacional Ensino e Interdisciplinaridade na Escola Pública
A ESCOLA QUE PERSISTE: DESAFIOS PELA INCLUSÃO, DIVERSIDADE E QUALIDADE DO ENSINO NA ESCOLA PÚBLICA EM TEMPO DE CRISE

A quinta edição do Seminário Nacional do Ensino Médio, em conjunto com o segundo Encontro Nacional Ensino e Interdisciplinaridade, pauta os “Desafios pela inclusão, diversidade e qualidade do ensino na escola pública em tempo de crise”. Em 2018, objetivamos, primeiro, fazer um balanço das conquistas realizadas nas últimas décadas, já reconhecendo os avanços obtidos em diversos níveis, e, segundo, percebendo o momento de grave instabilidade do país, discutir caminhos para potencializar o fortalecimento da escola pública inclusiva, diversa e com qualidade do ensino. Em parte, assim, reconhecemos os avanços nos processos educacionais, na mesma medida que analisamos que muito ainda há por ser feito, mas sempre reafirmando a necessidade de não admitir retrocessos diante do quadro crítico que, temporariamente, esperamos, aflige a escola e a sociedade como um todo.

Como nas edições anteriores, o evento tem como propósito constituir-se como espaço de discussões e debates para pesquisadores, estudantes da graduação e da pós-graduação, professores universitários e da educação básica que atuam, pesquisam, refletem e problematizam o ensino (fundamental e médio). As atividades dos eventos deverão servir, também, como espaço privilegiado de produção e apropriação de conhecimentos e desenvolvimento de práticas educativas inovadoras.

Nestas atividades, como continuidade positiva, oriundas das experiências das duas últimas edições, estamos envolvendo alunos bolsistas do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica para o Ensino Médio (PIBIC-EM/CNPq), apostando na aproximação docentes/discentes, universidades/escolas, como um dos caminhos novos para a construção do êxito do ensino, com inclusão e diversidade. Daremos, então, ênfase a participação de alunos da Educação Básica em todas as atividades do evento (da organização a apresentação de trabalhos), mas principalmente na “Amostra de Experiências Exitosas nos Processos de ensino e aprendizagem” e nos “Salões de Trabalhos Científicos”.

Desse modo, o V Senacem/II Enacei, com foco no mote da inclusão, da diversidade e da imprescindível busca pela qualidade no ensino, tomando como contexto a situação de crise que vivenciamos, continuará o debate sobre as políticas curriculares para o Ensino Médio e para a Educação Básica, de forma geral, e as incorporações, adaptações, recontextualizações e traduções encontradas nas escolas. Esse debate dá ênfase ao seu público jovem, no contexto de mudanças na sociedade contemporânea, buscando aproximar escolas públicas e universidades e, ainda, envolvendo professores e alunos no processo de construção e socialização dos saberes.

Com tal intuito, o evento pretende favorecer espaços de socialização e publicização das pesquisas e produções recentes dos sujeitos pedagógicos (docentes, discentes, gestores, coordenadores pedagógicos e demais profissionais da escola), visando apontar o percurso histórico, a atualidade, as percepções e as transformações teóricas e práticas que envolvem os processos de ensino e aprendizagem na Educação Básica. Nesse cenário, o debate levará em conta as políticas governamentais, instituídas pelo Ministério da Educação (MEC), principalmente para o ensino e seus reflexos e impactos na escola pública. 

Assim, pretende-se enfatizar as pesquisas desenvolvidas nas escolas públicas sobre juventudes, inclusão, qualidade no ensino e diversidades em todo o Nordeste brasileiro, estabelecendo relações com as demais regiões do País. A socialização das pesquisas ocorrerá por intermédio das sistematização dos Grupos de Discussões (GD), considerando três eixos estruturantes do seminário que são: Qualidade no Ensino e Políticas Curriculares, Juventudes, Inclusão e Diversidades na Escola Pública e Ciências, Interdisciplinaridades e Saberes na Educação Básica. 

O referido evento é sediado na Faculdade de Educação (FE), com realização do Grupo de Estudo Contexto e Educação (Contexto – CNPq/FE) e Grupo de Extensão Estudos em Indisciplina e Violência na Escola (EIVE - UERN/FE), da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), com apoio da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA), do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN), da Secretaria Municipal de Educação de Mossoró e da Secretaria de Estado da Educação da Cultura do Rio Grande do Norte (SEEC). Conta, ainda, com apoio de grupos de pesquisas e de programas de pós-graduação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), da Universidade Federal de Alagoas (UFAL), da Universidade Federal do Ceará (UFC), da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), da Universidade Federal Fluminense (UFF) e da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). A aglutinação dessas expressivas instituições acadêmicas com as Secretarias do Estado e Município de Mossoró e, por conseguinte, com as escolas da região, objetiva aproximar o debate acadêmico do espaço escolar, intentando diminuir o fosso que separa o pensar e o fazer as políticas e os currículos escolares, do fazer cotidiano das escolas e dos seus sujeitos.

A construção coletiva do SENACEM/ENACEI, apesar de trilhar as primeiras edições, já ocupa lugar importante no debate sobre o Ensino Médio. Em 2011, o I Seminário Nacional do Ensino Médio, intitulado: “História, Mobilização e Perspectivas”, surgiu com a pretensão de discutir as políticas governamentais e suas apropriações e recontextualizações na escola, enfatizando os processos históricos, políticos e ideológicos que permeavam a educação básica. A iniciativa do evento possibilitou socializar as pesquisas desenvolvidas nas escolas públicas de ensino médio, mobilizando pesquisadores com diversas trajetórias acadêmicas, predominantemente, do nordeste brasileiro, mas com trânsito intelectual nas outras regiões do País. Naquele momento, o evento contribuiu para suscitar o debate teórico e epistemológico, assim como as reflexões e repercussões do fazer pedagógico no Ensino Médio, analisando suas possibilidades, potencialidades, limites e problemas. A parceria entre os pesquisadores resultou na publicação dos anais do evento com 400 (quatrocentos) trabalhos que foram apresentados a partir dos eixos temáticos discutidos. Outro significativo resultado das conferências ministradas no Seminário foi a publicação do livro Ensino Médio: políticas, docências, inclusão e cotidiano escolar, pela Editora CRV (Curitiba). Com uma tiragem de 1.000 mil exemplares, o livro foi quase totalmente vendido, em apenas um ano de lançamento. Esse livro tem sido divulgado em vários eventos científicos e acadêmicos nas universidades parceiras, assim como na Associação Nacional dos Pesquisadores em Educação (ANPED), em 2012, além de ser adotado como material de leitura e discussão nos cursos de graduação e pós-graduação da UERN, entre outras.

Em 2012, o II SENACEM abordou a temática “Profissão Docente, Currículo e Novas Tecnologias”. O evento propiciou espaços de debates para pesquisadores com experiências em diversas áreas de formação e diferentes regiões do País, discutindo os desafios e as possibilidades contemporâneas para a docência, a formação e a utilização das novas tecnologias no Ensino Médio. Nessa edição, os vínculos entre as instituições parceiras foram fortalecidos com a integração do ensino de graduação e pós-graduação com a participação dos programas formativos (PET, PIBIC, PIBID e PIM). O estímulo para o envolvimento dos discentes vinculados aos programas formativos foi fomentado nas atividades desenvolvidas em parcerias com os professores nas coordenações das diversas atividades do Seminário (Grupos de discussão, minicursos, apresentações de trabalhos). Como resultado dessa soma de esforços, o II SENACEM atingiu a participação de 950 pessoas (professores da educação básica e universitários, estudantes de graduação e de pós-graduação, gestores de escolas, técnicos da Secretaria de Educação e do MEC). A produção bibliográfica também se mostrou significativa com a publicação de 300 (trezentos) trabalhos apresentados nas comunicações nos anais do evento. Como no primeiro SENACEM, as conferências foram publicadas em Livro pela Editora Edições UFC.

Em 2013, com as experiências e a acentuada parceria construídas nos últimos anos o III SENACEM se apresentou como uma possibilidade de mediação e reflexão crítica, rigorosa e de conjunto da realidade educacional que envolve o Ensino Médio. Seu objetivo foi o de contribuir, fomentar e suscitar o debate teórico e epistemológico acerca dos currículos, aprendizagens e saberes que mobilizam as práticas educativas, continuando na trilha de construção, uma educação de qualidade social, comprometida com os sujeitos do ensino médio das escolas públicas brasileira. Como resultado do acúmulo de forças das edições anteriores, o III SENACEM alcançou um público de 1.150 pessoas (professores da educação básica e universitários, estudantes de graduação e de pós-graduação, gestores de escolas, técnicos da Secretaria de Educação e do MEC). A produção bibliográfica também se mostrou significativa com 500 (quinhentos) trabalhos apresentados nas comunicações e publicados nos anais do evento. Como nas duas últimas edições do SENACEM, as conferências foram publicadas em livro pelas Edições UECE.     

Em 2016, na IV edição do Seminário Nacional do Ensino Médio, em concomitância com o primeiro Encontro Nacional Ensino e Interdisciplinaridade na Escola Pública (I ENACEI), privilegiou a temática: “Ensino, juventude e diversidade na escola pública”. Tal temática favoreceu a reflexão sobre os rumos que a política do ensino médio tem tomado, pensando sobre os processos mediativos do mesmo em relação a questão curricular e suas inter-relações com as diferentes formas de aprendizagem e aquisição/apropriação de saberes. O público ultrapassou 1.200 participantes de diversas partes do país os quais vivenciaram momentos de discussões e debates sobre políticas educacionais, currículos, produção, apropriação de conhecimentos e desenvolvimento de práticas educativas inovadoras. A produção bibliográfica, mais uma vez, foi significativa contando com a publicação de 700 (setecentos) trabalhos apresentados nas comunicações nos anais do evento. Como nas edições anteriores do SENACEM, as conferências foram publicadas em livro pelas Edições UECE, chancelada pelo Programa de Pós-Graduação em Ensino (UERN/UFERSA/IFRN).     

Para 2018, o V Seminário Nacional do Ensino Médio (V SENACEM) e o II Encontro Nacional Ensino e Interdisciplinaridade na Escola Pública (II ENACEI) trazem como tema “A escola que persiste: Desafios pela inclusão, diversidade e qualidade do ensino na escola pública em tempo de crise” com a proposta inovadora de aproximação maior com docentes, discentes e os profissionais da educação básica, tornando efetiva a necessária conjugação de saberes entre a Escola e a Universidade. Assim, além de mantermos o elevado padrão acadêmico, continuamos com as parcerias, grupos de pesquisa, programas de pós-graduação e professores de dezenas universidades brasileiras, juntos enfrentaremos o desafio de reunir no mesmo espaço o acadêmico e o escolar, acreditando que os saberes são/serão construídos horizontalmente, sem hierarquias, aprendendo/ensinando com a escola e a universidade.

01 Discutir os desafios pela inclusão, diversidade e qualidade do ensino na escola pública em tempo de crise;

02 Analisar as possibilidades formativas interdisciplinares na Escola Básica;

03 Analisar as políticas curriculares para a Educação Básica e as incorporações, adaptações, recontextualizações e traduções encontradas nas escolas;

04 Divulgar resultados de pesquisas sobre as políticas de educação básica de forma geral, com ênfase para o Ensino Médio, desenvolvidas em universidade brasileiras, que envolvam professores, alunos e/ou técnicos das secretarias estaduais e municipais de educação no debate sobre a qualidade do ensino;

05 Possibilitar o intercâmbio entre pesquisadores e instituições que debatem as políticas curriculares e as aprendizagens significativas na escola, envolvendo gestores estaduais e municipais, professores, gestores escolares e comunidade escolar, de forma geral;

06 Possibilitar a interação entre professores e alunos da educação básica, professores do ensino superior e alunos de graduação de diversas licenciaturas e de pós-graduação (especialização, mestrado e doutorado) como espaço de debates de saberes e experiências diversas, contribuindo para o desenvolvimento de aprendizagens acadêmicas, escolares e de formação continuada;

07 Discutir as peculiaridades do Ensino Médio na escola pública, dando ênfase ao seu público jovem, no contexto de mudanças na sociedade contemporânea;

08 Discutir os desafios e as possibilidades da interdisciplinaridade para a profissão docente e para o currículo da escola pública;

09 Aproximar o debate acadêmico do debate escolar, buscando encontros possíveis entre a excelência da pesquisa e a excelência da prática escolar, com foco na escola pública e nos sujeitos que frequentam a educação básica;

10 Contribuir para o debate, para a exposição de ideias e para a publicação de artigos científicos de alunos da pós-graduação e de professores que atuam na graduação e na pós-graduação nos anais do evento e nos livros e revistas que saem oriundos das temáticas debatidas no evento;

 

 

Daniel Cara

É Doutorando em Educação (Universidade de São Paulo - USP), mestre em Ciência Política (USP) e bacharel em Ciências Sociais (USP). Atualmente é coordenador geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação (desde 2006). É membro titular do Fórum Nacional de Educação (desde 2010) e do Conselho Universitário da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Foi membro da direção da Campanha Global pela Educação (2007-2011) e do Comitê Diretivo da Campanha Latino-americana pelo Direito à Educação (2009-2012). Tem experiência de pesquisa nas áreas de Educação, Ciência Política e Sociologia, atuando desde a graduação nos seguintes temas: políticas públicas de educação, participação na educação, financiamento da educação, avaliação da educação, federalismo, teoria geral do Estado, sociedade civil, movimentos sociais, associativismo, desigualdade socioeconômica, vulnerabilidade socioeconômica e civil, políticas públicas de juventude, violência urbana e cultura juvenil. É colunista do UOL Educação (Grupo Folha) e possuiu blog na Revista Educação (Editora Segmento). Foi laureado com o Prêmio Darcy Ribeiro 2015, entregue pela Câmara dos Deputados em nome do Congresso Nacional.

É Doutorando em Educação (Universidade de São Paulo - USP), mestre em Ciência Política (USP) e bacharel em Ciências Sociais (USP). Atualmente é coordenador geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação (desde 2006). É membro titular do Fórum Nacional de Educação (desde 2010) e do Conselho Universitário da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Foi membro da direção da Campanha Global pela Educação (2007-2011) e do Comitê Diretivo da Campanha Latino-americana pelo Direito à Educação (2009-2012). Tem experiência de pesquisa nas áreas de Educação, Ciência Política e Sociologia, atuando desde a graduação nos seguintes temas: políticas públicas de educação, participação na educação, financiamento da educação, avaliação da educação, federalismo, teoria geral do Estado, sociedade civil, movimentos sociais, associativismo, desigualdade socioeconômica, vulnerabilidade socioeconômica e civil, políticas públicas de juventude, violência urbana e cultura juvenil. É colunista do UOL Educação (Grupo Folha) e possuiu blog na Revista Educação (Editora Segmento). Foi laureado com o Prêmio Darcy Ribeiro 2015, entregue pela Câmara dos Deputados em nome do Congresso Nacional.

É Doutorando em Educação (Universidade de São Paulo - USP), mestre em Ciência Política (USP) e bacharel em Ciências Sociais (USP). Atualmente é coordenador geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação (desde 2006). É membro titular do Fórum Nacional de Educação (desde 2010) e do Conselho Universitário da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Foi membro da direção da Campanha Global pela Educação (2007-2011) e do Comitê Diretivo da Campanha Latino-americana pelo Direito à Educação (2009-2012). Tem experiência de pesquisa nas áreas de Educação, Ciência Política e Sociologia, atuando desde a graduação nos seguintes temas: políticas públicas de educação, participação na educação, financiamento da educação, avaliação da educação, federalismo, teoria geral do Estado, sociedade civil, movimentos sociais, associativismo, desigualdade socioeconômica, vulnerabilidade socioeconômica e civil, políticas públicas de juventude, violência urbana e cultura juvenil. É colunista do UOL Educação (Grupo Folha) e possuiu blog na Revista Educação (Editora Segmento). Foi laureado com o Prêmio Darcy Ribeiro 2015, entregue pela Câmara dos Deputados em nome do Congresso Nacional.

Image is not available
Image is not available

Palestra:
Movimentos em defesa da qualidade do ensino e da escola pública.

Palestra:
Movimentos em defesa da qualidade do ensino e da escola pública.

Palestra:
Movimentos em defesa da qualidade do ensino e da escola pública.

Possui mestrado em Educação pela USP, doutorado em Educação pela PUC-SP e livre-docência em Educação pela USP. Foi pesquisador sênior na Fundação Carlos Chagas e professor titular na PUC-SP. Atualmente é professor titular (Colaborador Sênior) da Faculdade de Educação da USP, onde exerce a pesquisa, a docência e a orientação de discípulos em nível de pós-graduação. É coordenador do Grupo de Estudos e Pesquisas em Administração Escolar (Gepae). Atua na área de Educação, com ênfase em Políticas Educacionais e Administração de Unidades Educativas. É autor, entre outros, dos seguintes livros: Administração escolar: introdução crítica, Gestão democrática da escola pública, Por dentro da escola pública, Reprovação escolar: renúncia à educação, Educação como exercício do poder, Crítica da estrutura da escola e Diretor escolar: educador ou gerente?

Possui mestrado em Educação pela USP, doutorado em Educação pela PUC-SP e livre-docência em Educação pela USP. Foi pesquisador sênior na Fundação Carlos Chagas e professor titular na PUC-SP. Atualmente é professor titular (Colaborador Sênior) da Faculdade de Educação da USP, onde exerce a pesquisa, a docência e a orientação de discípulos em nível de pós-graduação. É coordenador do Grupo de Estudos e Pesquisas em Administração Escolar (Gepae). Atua na área de Educação, com ênfase em Políticas Educacionais e Administração de Unidades Educativas. É autor, entre outros, dos seguintes livros: Administração escolar: introdução crítica, Gestão democrática da escola pública, Por dentro da escola pública, Reprovação escolar: renúncia à educação, Educação como exercício do poder, Crítica da estrutura da escola e Diretor escolar: educador ou gerente?

Possui mestrado em Educação pela USP, doutorado em Educação pela PUC-SP e livre-docência em Educação pela USP. Foi pesquisador sênior na Fundação Carlos Chagas e professor titular na PUC-SP. Atualmente é professor titular (Colaborador Sênior) da Faculdade de Educação da USP, onde exerce a pesquisa, a docência e a orientação de discípulos em nível de pós-graduação. É coordenador do Grupo de Estudos e Pesquisas em Administração Escolar (Gepae). Atua na área de Educação, com ênfase em Políticas Educacionais e Administração de Unidades Educativas. É autor, entre outros, dos seguintes livros: Administração escolar: introdução crítica, Gestão democrática da escola pública, Por dentro da escola pública, Reprovação escolar: renúncia à educação, Educação como exercício do poder, Crítica da estrutura da escola e Diretor escolar: educador ou gerente?

Image is not available
Vitor Paro

Daniel Cara é coordenador geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação

Daniel Cara é coordenador geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação

Vitor Paro


Lúcia Sampaio

​ Graduada em Pedagogia (1992) pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), com Especialização (1999), Mestrado (2002) e Doutoramento no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2005). Pós-Doutoramento no Laboratoire dEtudes Romanes, na Équipe de Linguistique des Langues Romanes na Université Paris 8, France (2011). Professora adjunto IV do Departamento de Educação. Bolsista de Produtividade em Pesquisa/UERN (2007-2013). Líder-Fundadora (2005) do Grupo de Estudos e Pesquisas em Planejamento do Processo Ensino-aprendizagem (GEPPE), membro do GPET e líder-fundadora do Grupo Núcleo de Estudos em Educação (NEEd) de 2000/2004. Atua nas áreas de Ensino em interface com Educação e Letras. Docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Ensino (PPGE), no Mestrado Profissional em Letras (PROFLETRAS) e colaboradora do Curso de Doutorado do Programa de Pós-Graduação em Letras (PPGL) . Desenvolve pesquisas articuladas ao ensino e à extensão universitária, orientando trabalhos acerca do ensino-aprendizagem da leitura, planejamento e formação do leitor. Proponente/Idealizadora do Programa Biblioteca Ambulante e Literatura nas Escolas (BALE); Ex-Presidente-Fundadora da Associação Internacional de Pesquisa na Graduação em Pedagogia (AINPGP), entidade promotora dos Fóruns Internacionais de Pedagogia (FIPEDs), nas gestões consecutivas (2008/2010 a 2010/2012). Atual membro do CTC-EB, atua como Consultora na área de Ensino/CAPES.Atuou como Aux. de Pesquisa na BNCC/MEC. Coordena Subprojeto PIBID Pedagogia/CAPES. Atual Presidente da Sociedade Filarmônica Pauferrense (SFP).

​ Graduada em Pedagogia (1992) pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), com Especialização (1999), Mestrado (2002) e Doutoramento no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2005). Pós-Doutoramento no Laboratoire dEtudes Romanes, na Équipe de Linguistique des Langues Romanes na Université Paris 8, France (2011). Professora adjunto IV do Departamento de Educação. Bolsista de Produtividade em Pesquisa/UERN (2007-2013). Líder-Fundadora (2005) do Grupo de Estudos e Pesquisas em Planejamento do Processo Ensino-aprendizagem (GEPPE), membro do GPET e líder-fundadora do Grupo Núcleo de Estudos em Educação (NEEd) de 2000/2004. Atua nas áreas de Ensino em interface com Educação e Letras. Docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Ensino (PPGE), no Mestrado Profissional em Letras (PROFLETRAS) e colaboradora do Curso de Doutorado do Programa de Pós-Graduação em Letras (PPGL) . Desenvolve pesquisas articuladas ao ensino e à extensão universitária, orientando trabalhos acerca do ensino-aprendizagem da leitura, planejamento e formação do leitor. Proponente/Idealizadora do Programa Biblioteca Ambulante e Literatura nas Escolas (BALE); Ex-Presidente-Fundadora da Associação Internacional de Pesquisa na Graduação em Pedagogia (AINPGP), entidade promotora dos Fóruns Internacionais de Pedagogia (FIPEDs), nas gestões consecutivas (2008/2010 a 2010/2012). Atual membro do CTC-EB, atua como Consultora na área de Ensino/CAPES.Atuou como Aux. de Pesquisa na BNCC/MEC. Coordena Subprojeto PIBID Pedagogia/CAPES. Atual Presidente da Sociedade Filarmônica Pauferrense (SFP).

Graduada em Pedagogia (1992) pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), com Especialização (1999), Mestrado (2002) e Doutoramento no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2005). Pós-Doutoramento no Laboratoire dEtudes Romanes, na Équipe de Linguistique des Langues Romanes na Université Paris 8, France (2011). Professora adjunto IV do Departamento de Educação. Bolsista de Produtividade em Pesquisa/UERN (2007-2013). Líder-Fundadora (2005) do Grupo de Estudos e Pesquisas em Planejamento do Processo Ensino-aprendizagem (GEPPE), membro do GPET e líder-fundadora do Grupo Núcleo de Estudos em Educação (NEEd) de 2000/2004. Atua nas áreas de Ensino em interface com Educação e Letras. Docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Ensino (PPGE), no Mestrado Profissional em Letras (PROFLETRAS) e colaboradora do Curso de Doutorado do Programa de Pós-Graduação em Letras (PPGL) . Desenvolve pesquisas articuladas ao ensino e à extensão universitária, orientando trabalhos acerca do ensino-aprendizagem da leitura, planejamento e formação do leitor. Proponente/Idealizadora do Programa Biblioteca Ambulante e Literatura nas Escolas (BALE); Ex-Presidente-Fundadora da Associação Internacional de Pesquisa na Graduação em Pedagogia (AINPGP), entidade promotora dos Fóruns Internacionais de Pedagogia (FIPEDs), nas gestões consecutivas (2008/2010 a 2010/2012). Atual membro do CTC-EB, atua como Consultora na área de Ensino/CAPES.Atuou como Aux. de Pesquisa na BNCC/MEC. Coordena Subprojeto PIBID Pedagogia/CAPES. Atual Presidente da Sociedade Filarmônica Pauferrense (SFP).

Image is not available
Image is not available

Daniel Cara é coordenador geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação

Daniel Cara é coordenador geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação

Vitor Paro


Lia Fialho

Pós-doutora em Educação em 2014 pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB), doutora em Educação Brasileira em 2012 pela Universidade Federal do Ceará UFC, Graduada em Pedagogia em 2001 pela Universidade Estadual do Ceará (UECE), mestra em Saúde Coletiva em 2006 pela Universidade de Fortaleza (Unifor), especialista em Inclusão da Criança Especial no Sistema Regular de Ensino em 2004 pela UFC, em Psicologia da Educação em 2007 e em Psicopedagogia Institucional e Clínica em 2011, ambas as formações pela Faculdade Latino-Americana de Educação (Flated). Professora adjunta do Centro de Educação da UECE, professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da UECE e do Mestrado Profissional em Planejamento e Políticas Públicas da mesma instituição. Editora-chefe da Coleção Práticas Educativas, vinculada à Editora da UECE (EdUECE). Editora-chefe da Revista Educação & Formação do PPGE/UECE. Líder do grupo de pesquisa Práticas Educativas Memórias e Oralidades (PEMO). Coordenadora do projeto de pesquisa Educadoras no Ceará do Século XX: Formação Docente, Práticas e Representações, financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Coordenadora do Curso de Pedagogia da Faculdade Latino Americana de Educação (FLATED, 2011-2013). Assessora de direção do Centro de Educação na (UECE, 2014-2017). Coordenadora de área do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid/Pedagogia/UECE). Membro da Sociedade Brasileira de História da Educação (SBHE), da Associação Brasileira de Editores Científicos (ABEC) e da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (ANPED).

Pós-doutora em Educação em 2014 pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB), doutora em Educação Brasileira em 2012 pela Universidade Federal do Ceará UFC, Graduada em Pedagogia em 2001 pela Universidade Estadual do Ceará (UECE), mestra em Saúde Coletiva em 2006 pela Universidade de Fortaleza (Unifor), especialista em Inclusão da Criança Especial no Sistema Regular de Ensino em 2004 pela UFC, em Psicologia da Educação em 2007 e em Psicopedagogia Institucional e Clínica em 2011, ambas as formações pela Faculdade Latino-Americana de Educação (Flated). Professora adjunta do Centro de Educação da UECE, professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da UECE e do Mestrado Profissional em Planejamento e Políticas Públicas da mesma instituição. Editora-chefe da Coleção Práticas Educativas, vinculada à Editora da UECE (EdUECE). Editora-chefe da Revista Educação & Formação do PPGE/UECE. Líder do grupo de pesquisa Práticas Educativas Memórias e Oralidades (PEMO). Coordenadora do projeto de pesquisa Educadoras no Ceará do Século XX: Formação Docente, Práticas e Representações, financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Coordenadora do Curso de Pedagogia da Faculdade Latino Americana de Educação (FLATED, 2011-2013). Assessora de direção do Centro de Educação na (UECE, 2014-2017). Coordenadora de área do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid/Pedagogia/UECE). Membro da Sociedade Brasileira de História da Educação (SBHE), da Associação Brasileira de Editores Científicos (ABEC) e da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (ANPED).

Pós-doutora em Educação em 2014 pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB), doutora em Educação Brasileira em 2012 pela Universidade Federal do Ceará UFC, Graduada em Pedagogia em 2001 pela Universidade Estadual do Ceará (UECE), mestra em Saúde Coletiva em 2006 pela Universidade de Fortaleza (Unifor), especialista em Inclusão da Criança Especial no Sistema Regular de Ensino em 2004 pela UFC, em Psicologia da Educação em 2007 e em Psicopedagogia Institucional e Clínica em 2011, ambas as formações pela Faculdade Latino-Americana de Educação (Flated). Professora adjunta do Centro de Educação da UECE, professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da UECE e do Mestrado Profissional em Planejamento e Políticas Públicas da mesma instituição. Editora-chefe da Coleção Práticas Educativas, vinculada à Editora da UECE (EdUECE). Editora-chefe da Revista Educação & Formação do PPGE/UECE. Líder do grupo de pesquisa Práticas Educativas Memórias e Oralidades (PEMO). Coordenadora do projeto de pesquisa Educadoras no Ceará do Século XX: Formação Docente, Práticas e Representações, financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Coordenadora do Curso de Pedagogia da Faculdade Latino Americana de Educação (FLATED, 2011-2013). Assessora de direção do Centro de Educação na (UECE, 2014-2017). Coordenadora de área do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid/Pedagogia/UECE). Membro da Sociedade Brasileira de História da Educação (SBHE), da Associação Brasileira de Editores Científicos (ABEC) e da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (ANPED).

Image is not available
Image is not available

Daniel Cara é coordenador geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação

Daniel Cara é coordenador geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação

Vitor Paro


Francisco das Chagas

Possui graduação em História (UFPB), mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente (PRODEMA/UERN) e doutorado em Educação (UFRN). É professor titular do IFRN, Campus de Mossoró, e líder do Grupo de Estudos em Ensino e Práticas Educativas (GENPE/IFRN) É professor do Programa de Pós-Graduação em Ensino (IFRN/UERN/UFERSA) e do Programa de Pós-Graduação em Educação Profissional e Tecnológica (Mestrado Profissional em Rede Nacional), Polo IFRN/Mossoró. Foi professor do Programa de Pós-graduação em Educação Profissional (IFRN/Natal) no período de 2013 a 2017. Desenvolve pesquisas nas áreas de História oral e memória, narrativas autobiográficas, história de vida e autoformação, Educação Profissional, saberes docentes, formação e desenvolvimento docente, saberes escolares, história da educação, ensino de História. 

Possui graduação em História (UFPB), mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente (PRODEMA/UERN) e doutorado em Educação (UFRN). É professor titular do IFRN, Campus de Mossoró, e líder do Grupo de Estudos em Ensino e Práticas Educativas (GENPE/IFRN) É professor do Programa de Pós-Graduação em Ensino (IFRN/UERN/UFERSA) e do Programa de Pós-Graduação em Educação Profissional e Tecnológica (Mestrado Profissional em Rede Nacional), Polo IFRN/Mossoró. Foi professor do Programa de Pós-graduação em Educação Profissional (IFRN/Natal) no período de 2013 a 2017. Desenvolve pesquisas nas áreas de História oral e memória, narrativas autobiográficas, história de vida e autoformação, Educação Profissional, saberes docentes, formação e desenvolvimento docente, saberes escolares, história da educação, ensino de História. 

Possui graduação em História (UFPB), mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente (PRODEMA/UERN) e doutorado em Educação (UFRN). É professor titular do IFRN, Campus de Mossoró, e líder do Grupo de Estudos em Ensino e Práticas Educativas (GENPE/IFRN) É professor do Programa de Pós-Graduação em Ensino (IFRN/UERN/UFERSA) e do Programa de Pós-Graduação em Educação Profissional e Tecnológica (Mestrado Profissional em Rede Nacional), Polo IFRN/Mossoró. Foi professor do Programa de Pós-graduação em Educação Profissional (IFRN/Natal) no período de 2013 a 2017. Desenvolve pesquisas nas áreas de História oral e memória, narrativas autobiográficas, história de vida e autoformação, Educação Profissional, saberes docentes, formação e desenvolvimento docente, saberes escolares, história da educação, ensino de História. 

Image is not available
Image is not available

Daniel Cara é coordenador geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação

Daniel Cara é coordenador geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação

Vitor Paro


Márcio Azevedo

Doutor (2010) e Mestre (2006) em Educação (Política e Gestão), pela UFRN. Especialista em Processos Educacionais (2003) e graduado em Pedagogia (2000), também pela UFRN. Cursou estágio Pós-Doutoral (2013-2014) em Sociologia da Educação, pela Universidade do Minho/Portugal. É professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte - IFRN, trabalhando em cursos, projetos e no Programa de Pós-Graduação em Educação Profissional - PPGEP/IFRN. Temas de interesse: Avaliação de políticas públicas, Educação profissional, Formação e trabalho docente, Educação do Campo, Educação escolar Quilombola, Indígena, Educação de Jovens e Adultos, e pesquisa e inovação. Membro de Associações acadêmico-científicas brasileiras, como a ANPED, SBPC e a Rede Brasileira de Monitoramento e Avaliação, e de associações internacionais, como a Sociedade Portuguesa de Ciências da Educação. Atualmente exerce a função de Pró-Reitor de Pesquisa e Inovação do IFRN.

Doutor (2010) e Mestre (2006) em Educação (Política e Gestão), pela UFRN. Especialista em Processos Educacionais (2003) e graduado em Pedagogia (2000), também pela UFRN. Cursou estágio Pós-Doutoral (2013-2014) em Sociologia da Educação, pela Universidade do Minho/Portugal. É professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte - IFRN, trabalhando em cursos, projetos e no Programa de Pós-Graduação em Educação Profissional - PPGEP/IFRN. Temas de interesse: Avaliação de políticas públicas, Educação profissional, Formação e trabalho docente, Educação do Campo, Educação escolar Quilombola, Indígena, Educação de Jovens e Adultos, e pesquisa e inovação. Membro de Associações acadêmico-científicas brasileiras, como a ANPED, SBPC e a Rede Brasileira de Monitoramento e Avaliação, e de associações internacionais, como a Sociedade Portuguesa de Ciências da Educação. Atualmente exerce a função de Pró-Reitor de Pesquisa e Inovação do IFRN.

Doutor (2010) e Mestre (2006) em Educação (Política e Gestão), pela UFRN. Especialista em Processos Educacionais (2003) e graduado em Pedagogia (2000), também pela UFRN. Cursou estágio Pós-Doutoral (2013-2014) em Sociologia da Educação, pela Universidade do Minho/Portugal. É professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte - IFRN, trabalhando em cursos, projetos e no Programa de Pós-Graduação em Educação Profissional - PPGEP/IFRN. Temas de interesse: Avaliação de políticas públicas, Educação profissional, Formação e trabalho docente, Educação do Campo, Educação escolar Quilombola, Indígena, Educação de Jovens e Adultos, e pesquisa e inovação. Membro de Associações acadêmico-científicas brasileiras, como a ANPED, SBPC e a Rede Brasileira de Monitoramento e Avaliação, e de associações internacionais, como a Sociedade Portuguesa de Ciências da Educação. Atualmente exerce a função de Pró-Reitor de Pesquisa e Inovação do IFRN.

Image is not available
Image is not available

Daniel Cara é coordenador geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação

Daniel Cara é coordenador geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação

Vitor Paro


Gerson Mól

Bacharel e Licenciado em Química, com Doutorado e Pós-Doutorado em Ensino de Química. Professor da Universidade de Brasília. Orientador no Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências da UnB e no Doutorado da Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática - REAMEC. Autor e coordenador do livro Química Cidadã, parecerista de revistas cientificas, assessor da Capes, do CNPq e agencias estaduais de financiamento. Pesquisa na área de inclusão, com foco no Ensino de Química a Alunos com Deficiência Visual, e no uso de novas tecnologias.

Bacharel e Licenciado em Química, com Doutorado e Pós-Doutorado em Ensino de Química. Professor da Universidade de Brasília. Orientador no Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências da UnB e no Doutorado da Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática - REAMEC. Autor e coordenador do livro Química Cidadã, parecerista de revistas cientificas, assessor da Capes, do CNPq e agencias estaduais de financiamento. Pesquisa na área de inclusão, com foco no Ensino de Química a Alunos com Deficiência Visual, e no uso de novas tecnologias.

Bacharel e Licenciado em Química, com Doutorado e Pós-Doutorado em Ensino de Química. Professor da Universidade de Brasília. Orientador no Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências da UnB e no Doutorado da Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática - REAMEC. Autor e coordenador do livro Química Cidadã, parecerista de revistas cientificas, assessor da Capes, do CNPq e agencias estaduais de financiamento. Pesquisa na área de inclusão, com foco no Ensino de Química a Alunos com Deficiência Visual, e no uso de novas tecnologias.

Image is not available
Image is not available

Daniel Cara é coordenador geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação

Daniel Cara é coordenador geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação

Vitor Paro


Arrow
Arrow
Slider

Contatos:

Seminário Nacional do Ensino Médio - SENACEM
Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - UERN
Instituto Federal do Rio Grande do Norte - IFRN
Faculdade de Educação - FE/UERN
Programa de Pós-Graduação em Ensino - POSENSINO

Campus Universitário Central
BR 110 - Km 46, Rua Prof. Antônio Campos, s/n - Costa e Silva
CEP: 59.633-010 - Mossoró/RN
(84) 3315-2203 (Faculdade de Educação)
senacem2017@gmail.com